Um grupo de alunos adolescentes brasileiros formou um «clube de combate» na escola. Os jovens marcavam os confrontos durante os intervalos na casa-de-banho do colégio WR, um dos mais tradicionais de Goiânia, capital do estado de Goiás, a 200 km de Brasília.

Depois de ver as imagens, a direção do colégio decidiu punir os 15 estudantes envolvidos. Seis deles, que já tinham sofrido alguma advertência na instituição, foram expulsos. Os outros nove foram suspensos por três dias.

Um professor de física acabou por ser demitido. Segundo a escola, o docente sabia das lutas, mas não avisou a direção. Segundo o diretor da escola, Rubens Ribeiro Guimarães, os combates aconteciam há mais de um ano e só foram descobertos porque um aluno ficou a saber e avisou a coordenação.