Uma mulher tinha sido declarada como morta pelos paramédicos depois um acidente de carro, mas horas depois foi encontrada viva no frigorífico da morgue, na cidade de Carletonville, na África do Sul. 

De acordo com a BBC, os paramédicos disseram que a mulher não tinha mostrado "nenhum sinal de vida". No entanto, quando um funcionário da morgue abriu o frigorífico, percebeu que a mulher ainda estava a respirar.

A mulher, cuja identidade não foi revelada, está agora a ser tratada num hospital na cidade de Joanesburgo. 

Como família não falamos sobre o assunto a não ser que a polícia, os paramédicos e os funcionários da morgue, que estão envolvidos, estejam presentes. Precisamos de respostas, que até agora ainda não as tivemos. (...) Ainda estamos em choque", disse um familiar, que pediu o anonimato, à BBC

A pedido da família da vítima, está a decorrer uma investigação, mas negligência dos paramédicos foi já posta de parte. 

Não há provas de negligência. Isto que aconteceu não é porque os paramédicos não estão treinados.", explicou o chefe das operações de alerta de socorro a um jornal local, Gerrit Bradnick. 

Esta não é a primeira vez este ano que alguém "acorda" na morgue, depois ter sido declarada morta. Em janeiro, um recluso de uma prisão das Astúrias, Espanha, recuperou a consciência horas antes da autópsia, depois de três médicos já terem declarado o óbito.

Também não é a primeira vez que isto acontece na África do Sul. Em 2011, um homem de 50 anos acordou a gritar numa morgue na província de Cabo Oriental. Já em 2016, uma vítima de um acidente de carro, declarada morta, foi encontrada viva no dia seguinte, mas acabou por morrer cinco dias depois da descoberta.