A empresa norte-americana CB-X criou aquilo que parecia improvável: um cinto de castidade para homens.

Ao aceder ao site do fabricante, poderá depreender-se que os cintos de castidade não são coisas do passado, não caíram em desuso e nem estão extintos. Pelo contrário, os cintos continuam a ser produzidos, vendidos e utilizados, principalmente por homens. Os modelos masculinos são uma novidade, porque além da troca de papéis em relação ao passado, são muito variados em formato, materiais e preço.

Existem vários modelos, de vários tamanhos e, através do site do fabricante, são enviados para os quatro cantos do mundo e são até objeto de encomendas para revenda.



No ato de compra, o fabricante avisa que não sugere tamanho a ninguém. Cada um é responsável por medir o próprio membro (e, no site, ensinam como fazê-lo da forma correta) e escolher o tamanho adequado. Caso haja engano, não se aceitam trocas.

Outra coisa importante é que, dada a natureza do produto, o fabricante não devolve o dinheiro de quem comprar e não gostar.



A utilização atual do cinto de castidade tornou-se um ato opcional e pode estar intimamente relacionado com algumas práticas fetichistas, ou pode ser opção de um casal interessado em banir de forma definitiva a possibilidade da traição masculina.