Um funcionário da manutenção do metropolitano de Madrid encontrou um cheque de dois milhões de dólares, cerca de um milhão e meio de euros.

Na tarde de quarta-feira, as portas de uma das carruagens do metro espanhol não fechavam e, como manda o protocolo, a carruagem seguiu para a manutenção.

Emilio Guerra inspecionava a composição e não tardou a perceber a razão por que as portas estavam com problemas: uma carteira na calha impedia o seu funcionamento. Nada de novo. As carteiras furtadas no metro são ali muitas vezes abandonadas.

Mas, esta não se revelaria uma carteira normal. Tinha lá os documentos de identificação de um cidadão americano de 49 anos e um cheque, um cheque de dois milhões de dólares passado em nome do homem que constava nos documentos.

Emilio deu um salto. «Tivemos que contar várias vezes os zeros porque não queríamos acreditar», disse um colega ao «El País».

A carteira foi entregue à polícia.