O «Biological Journal of the Linnean Society» publicou um estudo levado a cabo por duas universidades australianas que concluiu que as fémeas cangurus não são assim tão diferentes das mulheres: também elas não resistem a uns bons bíceps.

Durante os rituais de acasalamento, os machos lutam com rivais para impressionar as fémeas e exibem os seus dotes físicos.

O lado menos bom disto é que o macho também pode usar a sua força para pressionar a fémea.

Os dotes físicos também podem ser hereditários e assim ditar o sucesso dos machos das gerações seguintes de cangurus, como conta a «Time».