A Câmara Municipal de Lisboa (CML) quer restringir o uso do automóvel no centro da cidade. António Costa, presidente da autarquia, defende, por isso, a aplicação de uma taxa sobre as bombas de combustível da Grande Lisboa, para financiar as empresas de transporte público.

As medidas passam também pelo encaixe de parte das portagens cobradas à entrada da capital. Quem optar pelo uso do transporte individual vai sentir mais restrições.

O autarca considera que a única forma de obrigar mais pessoas a recorrer aos transportes públicos é o aumento dos combustíveis.