José Lello diz que foi por engano que chamou «foleiro» ao Presidente da República. Recorde-se que o dirigente e deputado socialista usou o Facebook nesta segunda-feira para atacar Cavaco Silva pelo facto do Presidente não ter convidado os deputados para as cerimónias do 25 de Abril em Belém.

Já esta manhã, Lello justificou-se: «Eu estava a trocar mensagens com um colega meu de bancada no meu Blackberry e eis que senão quando uma dessas mensagens transitou para o sector público, o que é desagradável. Mas estava feito. Se eu dissesse em politiquês o que pensava na altura teria dito que o Sr. Presidente não tinha sido suficientemente abrangente para incluir os partidos políticos e os demais parlamentares naquela que era a festa do 25 de Abril, que foi feito para que houvesse partidos políticos e parlamentares».

Dois outros socialistas criticaram, entretanto, a linguagem usada por José Lello.

Ferro Rodrigues, que esta manhã entregou as listas do PS por Lisboa, diz que não se devem confundir adversários com inimigos. «Penso que neste debate eleitoral as declarações públicas dos dirigentes partidários têm de ter um grande respeito pelos adversários, não confundi-los com inimigos. Em todo o caso, o eng. José Lello já clarificou que não foi uma declaração pública», frisou.

Vitor Ramalho, por seu lado, disse que «ninguém de bom senso aceita que se trate o Presidente da República nestes termos»: «É um comentário totalmente infeliz, uma linguagem inapropriada politicamente e condenável».