Síria: ativistas denunciam fortes bombardeamentos

Várias cidades, incluindo Homs e Aleppo estão debaixo de fogo desde a madrugada

Por: Redação / PO    |   15 de Abril de 2012 às 11:06


No dia da chegada da missão de observadores da ONU à Síria, a cidade de Homs encontra-se debaixo de um intenso ataque das forças sírias, segundo denuncia a oposição ao regime.

Há denúncia de rockets lançados de dez em dez minutos no bairro de Bayada, mas também noutros bairros da cidade, como Jalidiya, Hamidiya, Qusur e Huf.

Nas imagens do vídeo que circula no Youtube, um ativista filmava os bombardeamentos em Homs quando foi atingido.

Apesar do cessar-fogo desde quinta-feira, além de Homs, as cidades Aleppo e Idleb também estão debaixo de fogo a, escrevem as agências noticiosas internacionais.

Um residente de Aleppo disse à agência Reuters que uma esquadra da polícia foi atacada. «No início desta manhã, avistamos um helicóptero e um avião a sobrevoar a baixa altitude. Dez minutos depois havia um forte bombardeamento», disse à Reuters Walid al-Fares, ativista residente em Khalidiya.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou neste sábado por unanimidade o envio de uma equipa avançada de até 30 observadores para a Síria, que terá como missão avaliar o cumprimento do cessar-fogo entre o regime de Damasco e os rebeldes.
PUB
Partilhar
EM BAIXO: Síria
Síria
COMENTÁRIOS

PUB
Demissão em bloco na urgência do Garcia de Orta

Sete chefes de equipa enviaram carta ao conselho de administração do hospital de Almada. Médicos alegam como motivos da demissão o «agravamento das condições de trabalho», bem como «o risco do ato clínico» e «a segurança dos doentes», que «atingiu um ponto crítico e inaceitável» no serviço de urgência. Duas das oito mortes registadas no início deste ano foram neste hospital