Uma investigadora portuguesa na Universidade de Oslo disse esta sexta-feira que a cidade está «extremamente calma e muito silenciosa» depois do atentado bombista registado.

A população está «em choque e expectante» para perceber o que se passou na realidade, afirmou Bárbara Neves num contacto telefónico.

«De momento, a cidade está extremamente calma e muito silenciosa», até porque «a polícia pediu aos noruegueses para se manterem em casa e a zona do centro foi toda evacuada», disse a portuguesa a viver há dois anos na capital norueguesa.

Está «tudo muito calmo, tudo em choque mas tudo expectante, com serenidade», acrescentou. Quando saiu à rua, Bárbara Neves teve «a sensação de uma espécie de calmaria, que pode parecer esquisita mas, para o contexto norueguês, até faz sentido», uma vez que há muitas pessoas de férias e é sexta-feira.

Questionada sobre qual a interpretação dos noruegueses deste atentado, a portuguesa reconheceu que quando este tipo de incidentes ocorre «há logo uma série de especulações».

«Podia ser um ataque terrorista e depois a polícia confirmou que era um ataque de um carro bomba», disse. Entretanto, «começou a falar-se sobre a questão islâmica e a questão da Al-Qaeda porque em Julho do ano passado foram presos três membros da Al-Qaeda na Noruega», relatou Bárbara Neves, salvaguardando, no entanto, que as pessoas estão acima de tudo «expectantes» para perceber o que se passou efectivamente.