Um em cada 500 tem a patologia da morte súbita