logotipo tvi24

Telemóveis e tablets vão pagar nova taxa

Dinheiro cobrado em equipamentos de gravação destina-se a compensar autores

Por: tvi24    |   2013-02-04 09:23

Os telemóveis, os tablets, os MP3, as caixas descodificadoras e todos os equipamentos que permitam gravações vão passar a ser taxados de acordo com a capacidade de armazenagem, avança o «Jornal de Negócios».

A receita desta taxa não reverte a favor do Estado, servindo antes para compensar os autores, produtores, editores e artistas por obras copiadas para uso privado.

É isto que estipula a lei da cópia privada, que está a ser preparada pelo Governo e que está em discussão no Conselho Nacional de Cultura. Até chegar ao Conselho de Ministros ainda muita coisa pode mudar mas, para já, prevê que cada GB (gigabyte) num telemóvel ou num tablet custará 0,25 euros, o que significa que, por exemplo, um iPad com 16 GB terá uma taxa de 4 euros.

Já os MP3 terão uma taxa de 0,4 euros por cada GB e as caixas descodificadoras de 5 cêntimos por GB.

Atualmente já existem taxas sobre equipamentos de gravação, mas apenas para CD e DVD. De cada vez que se compra um DVD gravável já se paga a taxa da cópia privada. Agora o objetivo é ajustar as taxas e abranger os atuais equipamentos de gravação.

Partilhar
EM BAIXO: 3,6 - Samsung Propel
3,6 - Samsung Propel

Apple vende mais iPhones do que esperado
E resultados superam previsões
Cientistas invertem perda de memória em ratinhos com Alzheimer
O avanço descoberto pela Universidade Autónoma de Barcelona poderá levar à criação de novos medicamentos
Lisboa quer utilizar energia do trânsito para produzir eletricidade
«Se houver sucesso na implementação, poderá trazer uma receita alternativa à introdução de novas portagens urbanas», afirmou António Costa
EM MANCHETE
Queda de muro mata três estudantes
Braga: universitários eram todos caloiros. No momento do acidente, jovens estariam envolvidos numa «guerra de cursos». Feridos já tiveram alta hospitalar
Execução orçamental: défice cai, mas despesa aumenta
Passos quer «fazer a função pública respirar»