Cancro: portugueses procuram cura inovadora na Alemanha

Em Colónia, duas clínicas já receberam centenas de doentes portugueses que decidiram apostar nas vacinas dendítricas. São inovadoras, mas caras

Por: tvi24 / Inês Pereira    |   22 de Fevereiro de 2013 às 15:28
Desde Janeiro que é assim. A Internet encurta a distância entre Portugal e a Alemanha. Paulo tem 32 anos e um cancro no estômago. Foi-lhe diagnosticado em Abril do ano passado. Fez várias sessões de quimioterapia, procurou vários médicos.

Não cruzou os braços e decidiu optar por um tratamento não convencional. Numa clínica em Colónia, faz sessões com vacinas de células dendítricas. Um processo que consiste em retirar sangue do doente e dias depois voltar a injetar na zona afetada pelo tumor.

Luís Bretes, oncologista há mais de duas décadas, já enviou quatro doentes para Colónia. Casos que os métodos convencionais já não conseguiam resolver.

Esta descoberta venceu o Nobel da medicina em 2011. Só é praticada em duas clínicas na Alemanha e não tem ainda toda a aceitação na comunidade médica.

Para já, os custos elevados são o principal obstáculo dos doentes. Paulo precisa de 50 mil euros. Família, amigos e uma campanha nas redes sociais já estão a dar frutos.
Partilhar
EM BAIXO: Cancro: doentes procuram cura inovadora na Alemanha
Cancro: doentes procuram cura inovadora na Alemanha
COMENTÁRIOS

PUB
Sobretaxa teria sido devolvida se já houvesse crédito fiscal

Paulo Núncio diz que se o crédito fiscal que poderá devolver a sobretaxa tivesse sido introduzido em 2013 e em 2014 os contribuintes teriam recebido a totalidade do imposto pago nos anos anteriores. Isto porque, explicou o governante, o aumento da receita fiscal em IVA e em IRS que «superou o objetivo na ordem dos 1.200 milhões de euros». Assim, como a receita da sobretaxa é estimada em 760 milhões de euros, «se (a medida) estivesse em vigor em 2013, os contribuintes teriam recebido a totalidade da sobretaxa em 2014»