logotipo tvi24

Chávez vive ou morre? Crise política na Venezuela

Oposição quer novas eleições se presidente venezuelano não tomar posse no próximo dia 10

Por: Redacção / Pedro Bello Moraes/TVI    |   2013-01-03 22:16

Aumentam os rumores de que Hugo Chávez pode estar às portas da morte, condenado por um cancro, e, com isso, a Venezuela mergulha numa crise política.

A oposição insiste que se Chávez não tomar posse como presidente no próximo dia 10 terão de ser marcadas novas eleições.

Mas os apoiantes do presidente têm outra interpretação: consideram que o vice-presidente, Nicolas Maduro, tem legitimidade para assumir os destinos do país.

A angústia de Morales, do irmão boliviano, é seguramente partilhada por milhões de outros irmãos seguidores da revolução que tem em Chávez um dos representantes máximos. Mas, na Venezuela, a oposição não invoca Deus para as soluções futuras do país. A fé da união democrática chama-se constituição do país.

Estão, assim, reunidas as condições para uma crise institucional. 10 de janeiro é o dia da tomada de posse de Chávez como presidente eleito nas eleições de 7 de outubro. No entanto, perante a insistente ausência de Chávez e a possível morte, a prioridade da oposição é esvaziar as intenções chavistas que querem colocar na presidência o vice-presidente, sem novas eleições, isto claro, se Hugo Chávez não resistir à doença que combate em Cuba.

Partilhar
EM BAIXO: Eleições na Venezuela (Reuters)
Eleições na Venezuela (Reuters)

Brasil é o país com maior número de cirurgias plásticas
Surgimento da chamada «nova classe média» ajudou à subida ao primeiro lugar
MH17: peritos internacionais no local da queda
Parlamento recusa demissão do primeiro-ministro ucraniano
Ébola: declarado estado de emergência na Serra Leoa
Surto já causou mais de 220 mortos no país
EM MANCHETE
Ações do BES afundam em bolsa até aos 51%
Títulos chegaram a valer 17 cêntimos. Banco apresentou ontem contas negativas de quase 3,6 mil milhões de euros e irá necessitar de aumento de capital
BdP aponta para atos de gestão graves da equipa de Salgado
BdP afasta três administradores da equipa de Salgado