logotipo tvi24

Preso agoniza durante 10 minutos com injeção letal

A execução de Dennis MgGuire está a gerar controvérsia

Por: Redacção    |   2014-01-17 19:45

O preso Dennis McGuire, de Ohio, engasgou-se e teve convulsões durante 10 minutos, esta quinta-feira, ao ser executado com uma injeção letal com uma nova combinação de drogas, revelaram os repórteres que testemunharam a sua morte, avança a CNN.

McGuire foi condenado em 1994 pela violação e assassinato de Joy Stewart, de 22 anos, que estava grávida de sete meses.

A sua morte foi assistida pelos seus «filhos e enteadas que choravam e estavam visivelmente consternados», revelou uma repórter no Twitter.

«Ele engasgou-se profundamente. Era uma espécie de chocalho, som gutural. Houve uma espécie de cheirar pelo nariz. Em algumas vezes, ele parecia estar definitivamente sufocando», afirmou Alan Johnson, repórter do Columbus Dispatch, acrescentando que o processo de execução durou 24 minutos.

A execução gerou polémica porque, como em muitos estados, Ohio foi obrigado a encontrar novos protocolos de drogas depois de vários fabricantes da Europa proibiram as prisões norte-americanas de usar os seus medicamentos em execuções.

De acordo com o departamento prisional de Ohio, o estado usou uma combinação de midazolam, sedativo, analgésico e hidromorgona.

Segundo um anestesista dos hospitais Case Medical Center, em Cleveland, o tempo que McGuire levou para morrer não é normal numa execução.

«Porque demorou 24 minutos, eu não posso dizer. Mas isso leva à pergunta: quais foram as doses?», questionou Howard Nearman.

O advogado de McGuire, Allen Bohnert, pediu ao governador que imponha uma prorrogação sobre as execuções futuras por causa do que aconteceu nesta quinta-feira.

«Neste momento, é totalmente prematuro considerar este protocolo de execução para ser outra coisa senão uma experiência falhada e agonizante», afirmou o advogado em comunicado, acrescentando que «o povo de Ohio está chocado com o que foi feito. Ohio, como os seus cidadãos, deve seguir a lei. O estado falhou».

Partilhar

Rebeldes abatem dois caças ucranianos
Informação avançada pelo ministro da Defesa ucraniano
CPLP: Guiné Equatorial anuncia adesão em várias línguas, menos em português
O texto lembra que a Guiné Equatorial é o único país a integrar a CPLP que tem como língua materna o espanhol
CPLP: declaração final refere abolição da pena de morte na Guiné Equatorial
A referência foi introduzida por iniciativa da delegação portuguesa
EM MANCHETE
Guiné Equatorial aceite na CPLP
País entrou por consenso sem que tenha havido uma votação. Teodoro Obiang deve explicar os passos já dados e previstos para cumprir as condições de adesão
Ana Gomes chocada com adesão da Guiné Equatorial
Portugal com défice de 5,1% do PIB até março