FMI: autor do relatório assina texto contra austeridade

Para Carlos Mulas-Granados austeridade «não funciona»

Por: Redação / CPS    |   17 de Janeiro de 2013 às 09:21
O co-autor do relatório do FMI, Carlos Mulas-Granados, denunciou em Espanha que a crise está a ser aproveitada para fragilizar o Estado, avança esta quinta-feira o jornal «Diário de Notícias».

É uma declaração polémica, já que o responsável ajudou a fazer o relatório do Fundo - encomendado pelo Governo português - com o objetivo de «repensar o Estado».

Assim, na opinião de Mulas-Granados, a austeridade não funciona.

«Uma redução do défice pode ser obtida através de muitas diferentes combinações de aumentos de receita e de cortes na despesa; não tem de ser exclusivamente associada a cortes dolorosos nas despesas sociais. (...) Os conservadores estão a tentar usar os ajustamentos orçamentais durante o tempo de crise para reduzir o papel e o tamanho do Estado», disse o responsável, no documento «Acertar contas com os conservadores na disciplina orçamental».
Partilhar
COMENTÁRIOS

PUB
Mostrar contas do BES à PT só com ordem do tribunal

Banco de Portugal alega «dever de segredo» para não revelar a «extensa informação» pedida pela PT SGPS sobre a supervisão do Banco Espírito Santo e diz que só por ordem judicial o poderá fazer. Empresa pretende «obter integral ressarcimento dos danos que lhe foram provocados pelo seu intermediário financeiro BES» e, por isso, ameaçou levar Banco de Portugal à Justiça