logotipo tvi24

FMI: autor do relatório assina texto contra austeridade

Para Carlos Mulas-Granados austeridade «não funciona»

Por: Redacção / CPS    |   2013-01-17 09:21

O co-autor do relatório do FMI, Carlos Mulas-Granados, denunciou em Espanha que a crise está a ser aproveitada para fragilizar o Estado, avança esta quinta-feira o jornal «Diário de Notícias».

É uma declaração polémica, já que o responsável ajudou a fazer o relatório do Fundo - encomendado pelo Governo português - com o objetivo de «repensar o Estado».

Assim, na opinião de Mulas-Granados, a austeridade não funciona.

«Uma redução do défice pode ser obtida através de muitas diferentes combinações de aumentos de receita e de cortes na despesa; não tem de ser exclusivamente associada a cortes dolorosos nas despesas sociais. (...) Os conservadores estão a tentar usar os ajustamentos orçamentais durante o tempo de crise para reduzir o papel e o tamanho do Estado», disse o responsável, no documento «Acertar contas com os conservadores na disciplina orçamental».

Partilhar

Juncker admite erros na crise: «Houve uma falta de justiça social»
Candidato a presidente da Comissão Europeia pretende criar um salário mínimo em todos os países da UE e substituir a troika «por uma estrutura democraticamente mais legítima»
FMI revê em baixa a previsão de crescimento para zona euro
FMI reviu ligeiramente em baixa a sua previsão de crescimento em 2014, de 1,1% para 1%
Renegociação da dívida podia ter ajudado Portugal
A convicção é exposta num artigo elaborado por técnicos do FMI, enviado ao conselho consultivo
EM MANCHETE
Ações do BES afundam em bolsa até aos 51%
Títulos chegaram a valer 17 cêntimos. Banco apresentou ontem contas negativas de quase 3,6 mil milhões de euros e irá necessitar de aumento de capital
BdP aponta para atos de gestão graves da equipa de Salgado
BES perdeu quase 2 MME em depósitos em 12 meses