FMI: autor do relatório assina texto contra austeridade

Para Carlos Mulas-Granados austeridade «não funciona»

Por: Redação / CPS    |   17 de Janeiro de 2013 às 09:21
O co-autor do relatório do FMI, Carlos Mulas-Granados, denunciou em Espanha que a crise está a ser aproveitada para fragilizar o Estado, avança esta quinta-feira o jornal «Diário de Notícias».

É uma declaração polémica, já que o responsável ajudou a fazer o relatório do Fundo - encomendado pelo Governo português - com o objetivo de «repensar o Estado».

Assim, na opinião de Mulas-Granados, a austeridade não funciona.

«Uma redução do défice pode ser obtida através de muitas diferentes combinações de aumentos de receita e de cortes na despesa; não tem de ser exclusivamente associada a cortes dolorosos nas despesas sociais. (...) Os conservadores estão a tentar usar os ajustamentos orçamentais durante o tempo de crise para reduzir o papel e o tamanho do Estado», disse o responsável, no documento «Acertar contas com os conservadores na disciplina orçamental».
PUB
Partilhar
COMENTÁRIOS

PUB
AO MINUTO: siga aqui o debate sobre o OE2015

Assembleia da República debate na generalidade o Orçamento do Estado para 2015. Na início da discussão, Passos Coelho revelou que o Governo espera devolver 80% dos cortes salariais em vigor já em 2016. Os primeiros 20% são devolvidos já em 2015. Anúncio do primeiro-ministro feito em vésperas de eleições legislativas. Do lado da oposição, Passos tem recebido conselhos para ouvir o que diz Manuela Ferreira Leite, na TVI