logotipo tvi24

FMI: autor do relatório assina texto contra austeridade

Para Carlos Mulas-Granados austeridade «não funciona»

Por: Redacção / CPS    |   2013-01-17 09:21

O co-autor do relatório do FMI, Carlos Mulas-Granados, denunciou em Espanha que a crise está a ser aproveitada para fragilizar o Estado, avança esta quinta-feira o jornal «Diário de Notícias».

É uma declaração polémica, já que o responsável ajudou a fazer o relatório do Fundo - encomendado pelo Governo português - com o objetivo de «repensar o Estado».

Assim, na opinião de Mulas-Granados, a austeridade não funciona.

«Uma redução do défice pode ser obtida através de muitas diferentes combinações de aumentos de receita e de cortes na despesa; não tem de ser exclusivamente associada a cortes dolorosos nas despesas sociais. (...) Os conservadores estão a tentar usar os ajustamentos orçamentais durante o tempo de crise para reduzir o papel e o tamanho do Estado», disse o responsável, no documento «Acertar contas com os conservadores na disciplina orçamental».

Partilhar

Juncker admite erros na crise: «Houve uma falta de justiça social»
Candidato a presidente da Comissão Europeia pretende criar um salário mínimo em todos os países da UE e substituir a troika «por uma estrutura democraticamente mais legítima»
FMI revê em baixa a previsão de crescimento para zona euro
FMI reviu ligeiramente em baixa a sua previsão de crescimento em 2014, de 1,1% para 1%
Renegociação da dívida podia ter ajudado Portugal
A convicção é exposta num artigo elaborado por técnicos do FMI, enviado ao conselho consultivo
EM MANCHETE
Portuguesa confessou que era procurada pela Interpol
Telma Garcia acusou amante que também está preso por suspeitas de envolvimento no crime ocorrida na Suíça
Notícia TVI: BES poderá recorrer à ajuda do Estado
Novos cortes nos salários aprovados na especialidade