logotipo tvi24

BMW recolhe mais de 220 mil carros com defeitos no airbag

Defeitos encontram-se nos «airbags» do passageiro da frente, instalados em veículos do modelo da série 3

Por: Redacção / CPS    |   2013-05-08 10:36

A BMW recolheu 220 mil veículos para revisão, por suspeita de defeitos no «airbag», produzido pelo mesmo fabricante japonês que levou recentemente a Toyota, Nissan, Honda e Mazda a reunir mais de três milhões de veículos.

O porta-voz da BMW, Bernhard Santer, confirmou que foram detetados defeitos nos «airbags» do passageiro da frente, instalados em veículos do modelo da série 3, entre dezembro de 2001 e março de 2003.

Há cerca de um mês, um problema com o «airbag», produzido pela empresa japonesa Takata, entre 2000 e 2004, levou a Toyota, Nissan, Honda e Mazda a recolher mais de três milhões de automóveis para resolver o alegado defeito nessa componente.

A BMW explicou que tomou conhecimento dos referidos problemas com atraso e, por isso, reagiu mais tarde do que as restantes produtores de automóveis.

«Quatro produtores submeteram relatórios ao Governo salientando que irão chamar os proprietários de 731.000 carros face a problemas no «airbag», explicou o Ministério japonês dos Transportes, em abril.

O problema, nas marcas Toyota, Nissan, Honda e Mazda, é proveniente do 'airbag' do passageiro da frente, fabricado pela empresa japonesa Takata e utilizado nos veículos produzidos entre 2000 e 2004.

«O airbag do passageiro pode ter um defeito no conjunto do sistema de acionamento que, em caso de acidente, pode não funcionar corretamente», disse então um porta-voz da Toyota à AFP em Tóquio.

Partilhar

Juros da dívida no valor mais baixo desde 1999
Títulos a cinco anos estão nos 2,529%, o valor mais baixo desde que há registos
Banif: negociações com Guiné Equatorial «a bom ritmo»
Banco diz que aumento de capital destinado ao público em geral «não implica nenhuma alteração» do interesse da Guiné Equatorial numa participação no banco
Ganhos da ZON e da banca beneficiam PSI20 que subiu 2,57%
Entre as 20 cotadas que integram o PSI20, 17 encerraram em terreno positivo e apenas três desvalorizaram
EM MANCHETE
IRS: descida ainda «nesta legislatura»
O vice-primeiro-ministro diz que «o Governo tem consciência da necessidade de criar condições para começar a inverter a trajetória de agravamento do IRS»
Salário mínimo: «Acordo bom» talvez no «final do ano»
«Carinho pelos capitães nunca esteve em causa»